Veja todas as notícias do CMU

quinta-feira, 21/12/2017   Por Juliana Franco

Bibliotecária do CMU visita instituições portuguesas por intermédio do programa de Mobilidade Internacional

Bibliotecária do CMU visita instituições portuguesas por intermédio do programa de Mobilidade Internacional.pdf
Funcionária do Centro de Memória da Unicamp (CMU) desde 1989, a bibliotecária Rosaelena Scarpeline está, desde o início de dezembro, em Portugal, onde foi recebida por professores e especialistas do Centro de Investigação em Comunicação, Informação e Cultura Digital, da Universidade Católica do Porto, para uma temporada de trocas e aprendizados junto a diferentes instituições portuguesas voltadas à preservação digital de documentos e obras raras. A proposta de Rosaelena foi uma das 30 aprovadas em 2017, por intermédio do edital de Mobilidade Internacional da Vice-Reitoria Executiva de Relações Internacionais (VRERI).

A Biblioteca José Roberto do Amaral Lapa, que Rosaelena ajudou a construir, possui um vasto acervo que, além de livros sobre Campinas e obras raras, inclui uma coleção de jornais e revistas antigas que circularam na região e remontam ao século XIX. A digitalização desses materiais é o foco do intercâmbio em Portugal, buscando orientações para aprimorar técnicas e procedimentos no Centro de Memória. “A proposta de digitalização do acervo de jornais e revistas da Biblioteca do CMU vem ao encontro do anseio do pesquisador que necessita estudar a história do cotidiano de nossa cidade e que, muitas vezes, vê tolhida essa pesquisa, pois o jornal é um suporte muito frágil e está condenado à deterioração devido às características intrínsecas do papel. Com a digitalização, buscaremos dar ao pesquisador acesso às informações de todo nosso acervo, assim como procuraremos, por meio de convênios com outras instituições pertinentes, completar nossa coleção”, explica a bibliotecária.

De acordo com Rosaelena, a parceria entre a Faculdade de Engenharia e a Faculdade de Ciências da Informação da Universidade Católica do Porto permitiu a elaboração de um plano de estudos sólido e atualizado, em que se misturam saberes tradicionais com aplicações teórico-práticas nas áreas das tecnologias da informação e da comunicação, visando ao aprimoramento da gestão de sistemas e serviços informatizados normatizados.



Ao longo da viagem, ela foi recebida pela equipe da biblioteca da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde aprendeu técnicas de digitalização de documentos; entrevistou a Profa. Maria Manuela Pinto, referência na área de gestão de acervos digitais; conheceu profissionais especialistas em gestão, digitalização e preparação técnica do Arquivo Geral da Câmara Municipal do Porto; passou o dia com a coordenadora do Arquivo Municipal de Ponte de Lima, especializado na digitalização de documentos antigos e raros; e visitou a Biblioteca Joanina, em Coimbra, trocando experiências com profissionais de conservação de acervos raros. O roteiro ainda incluiu visitas técnicas à Biblioteca Nacional de Lisboa, à Biblioteca da Faculdade de Arquitetura Universidade de Lisboa, ao Arquivo Nacional da Torre do Tombo e ao Arquivo Histórico da Casa do Infante.

Segundo Rosaelena, que participou pela primeira vez do edital de Mobilidade Internacional da Unicamp, a experiência tem sido única. “Sem o apoio da Unicamp não estaria conhecendo tantas instituições irmãs às nossas e adquirindo tanto conhecimento, que será aproveitado não somente no CMU, mas também no grupo do Planes SBU, que estuda protocolos de digitalização para elaborar uma proposta para a Universidade”, afirma.


LEIA TAMBÉM: