Projetos
51 Projetos de Pesquisa (CESOP) Fonte: Avaliação Institucional 2009-2013
A FORÇA DAS COMISSÕES NO BRASIL: RECRUTAMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE PREFERÊNCIAS

Coordenador Principal: Andréa Marcondes de Freitas

Início: 08/2016

Término: 07/2020


Resumo:

Dentro dos estudos legislativos, dois modelos marcam os pontos de partida para a Ciência Política: o Congresso norte-americano, descentralizado nas comissões; e o Parlamento inglês, centralizado no gabinete. Isto conformou uma dicotomia entre centralização e descentralização, que se estendeu a uma dualidade entre partidos ou comissões fortes, como se a presença de um indicasse a ausência do outro. O caso brasileiro é consensual no que diz respeito a ser centralizado no Executivo, no entanto, há divergência em termos da força dos partidos e, mais recentemente, sobre a força das comissões. A hipótese deste projeto é que a atividade legislativa brasileira pode ser centralizada no Executivo e ainda assim ter, ao mesmo tempo, comissões e partidos fortes; desde que as comissões funcionem como meios para os líderes partidários consolidarem a centralização do Executivo, via coalizão governista. Assim, a força das comissões pode ser verificada pelo protagonismo dos partidos no recrutamento e na distribuição de preferências nestes órgãos. Pois, uma vez que estes são essenciais para a atividade legislativa, espera-se que os partidos se esforcem para ter seus interesses lá atendidos. Nesse sentido, os líderes partidários premiariam os seus parlamentares mais disciplinados alocando-os nas suas comissões preferidas. A hipótese será testada investigando a composição das comissões em todos os anos a partir de 1995, início do primeiro governo FHC - (PSDB), até 2014, ano final do primeiro mandato de Dilma (PT) e tomando como instrumental metodológico o debate estabelecido entre as três vertentes de modo de ação parlamentar: distributivista, informacional e partidária.

Ocultar
A QUALIDADE DA DEMOCRACIA NO BRASIL: REPRESENTAÇÃO POLÍTICA, PARTIDOS E O SISTEMA DE INTEGRIDADE

Coordenador Principal: Rachel Meneguello

Início: 10/2018

Término: 09/2023


Resumo:

O objetivo deste projeto é analisar a qualidade e o funcionamento do sistema democrático brasileiro enfocando duas de suas principais dimensões. A primeira diz respeito à representação política, com ênfase nas instituições eleitorais e de organização de interesses. O projeto pretende investigar a eficácia do sistema representativo quanto à sua capacidade de integração dos cidadãos e de suas demandas no sistema político, com ênfase nas eleições e aspectos do sistema eleitoral. Também investigará a dinâmica de organização de interesses, partidos e movimentos políticos, na direção de entender as características de nosso sistema partidário e os efeitos das transformações recentes do terreno da democracia representativa, em que a política de contestação, o fenômeno populista e a intervenção das novas tecnologias constituem-se sujeitos ativos da dinâmica política. A segunda dimensão diz respeito aos mecanismos de fiscalização e controle do abuso de poder e à percepção da corrupção pela população. Tais mecanismos asseguram os meios de efetivação da soberania dos cidadãos para além do princípio de representação política, envolvendo diferentes mecanismos de pesos e contrapesos e, especialmente, instituições do chamado Sistema de Integridade, e compõem o quadro de mecanismos da accountability horizontal que é vista como um requisito da qualidade da democracia. O projeto vai investigar valores e atitudes que orientam os agentes do Sistema. Quanto à percepção da população sobre a corrupção, o projeto vai investigar os valores e crenças que aparecem associados com a percepção pública em torno dos procedimentos de combate à corrupção, e, portanto, o efeito dos desdobramentos recentes da ação do Sistema de Integridade nessa área. Em termos metodológicos, o projeto será desenvolvido através de pesquisa empírica, e seus objetivos serão atingidos por meio da produção e análise de dados de nível individual obtidos em pesquisas por amostragem: um survey probabilístico com a população nacional, e uma pesquisa com agentes do Sistema de Integridade que inclui procedimentos apropriados ao estudo de valores, atitudes e comportamentos (método Q). Também coletará dados institucionais do Sistema de Integridade, dados institucionais partidários e eleitorais, além de material sobre campanhas políticas. (AU)

Ocultar
INSTITUIÇÕES POLÍTICAS, PADRÕES DE INTERAÇÃO EXECUTIVO-LEGISLATIVO E CAPACIDADE GOVERNATIVA

Coordenador Principal: Fernando de Magalhães Papaterra Limongi

Início: 04/2017

Término: 03/2022


Resumo:

Esta proposta é uma sequência dos quatro projetos temáticos anteriores e mantém seus objetivos analíticos e metodológicos. O principal objetivo do projeto é estudar o impacto das variáveis institucionais sobre o desempenho do governo. O escopo do projeto vem sendo redefinido e ampliado a cada versão. A linha de continuidade da pesquisa é dada por seu objeto e por sua orientação metodológica. Em sua versão inicial, o projeto se inseria na literatura sobre transições entre regimes. Por razões óbvias, esta deixou de ser a referência central deste projeto. Em consonância com as preocupações dominantes na literatura comparada, o projeto se orientou para o estudo da democratização e do funcionamento da democracia. O projeto continua a privilegiar as variáveis explicativas institucionais e, dentro delas, as ligadas ao processo decisório. Mantemos ainda nossa afiliação ao neo-institucionalismo e o compromisso com a mensuração objetiva das variáveis explicativas empregadas. (AU)

Ocultar
A CONSTRUÇÃO DOS CANDIDATOS: COMPARADO AS ESTRATÉGIAS DE CONSTRUÇÃO DA IMAGEM DE HADDAD E SERRA EM SÃO PAULO (2012)

Coordenador Principal: Aluna: Maria Vitória de Almeida - Orientadora: Profa. Rachel Meneguello

Início: 8/2012

Término: 7/2013


Resumo:

A pesquisa “A construção do candidato: comparando as estratégias de construção da imagem de Haddad e Serra em São Paulo (2012)” analisa a construção dos discursos políticos no espaço televisivo durante a disputa à prefeitura de São Paulo, tomando como objeto os programas eleitorais dos candidatos, Fernando Haddad (PT) e José Serra (PSDB). O trabalho tem como objetivo compreender, através da análise do Horário Gratuito de Propaganda Eleitoral, a competição política destes partidos na cidade, as ações de marketing político e eleitoral utilizadas por estes candidatos para buscar a identificação do eleitor através de sua imagem, e se as estratégias traçadas por estes partidos são similares ou focalizam campos distintos. Os resultados apontam para uma similaridade e uma divergência na estratégia destes candidatos, ambos utilizaram apoio de personalidades partidárias durante a campanha. No entanto, em relação à forma que produziram seus programas, os candidatos se diferenciaram, Haddad utilizou alta tecnologia de filmagem no desenvolvimento de seus programas, procurou focar em propostas de obras e apresentou o discurso de construir uma nova São Paulo. Já José Serra utilizou em seus programas menos tecnologia, utilizou como discurso as obras e melhorias feitas por ele na cidade e referiu-se sempre a importância das gestões do PSDB.

Ocultar
A DEMOCRACIA INTRA PARTIDÁRIA EM SÃO PAULO: O PERFIL DOS DELEGADOS PARTIDÁRIOS DO PSDB PAULISTA

Coordenador Principal: Profa. Dra. Rachel Meneguello - Depto. Ciência Política e CESOP/UNICAMP e Prof. Dr. Oswaldo Martins Estanislau do Amaral - Depto. Ciência Política e CESOP/UNICAMP

Início: 5/2013

Término: 12/2013


Sem resumo
Ocultar
A DESCONFIANÇA DOS CIDADÃOS DAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS

Coordenador Principal: Prof. Dr. José Álvaro Moisés (USP) e Profa. Dra. Rachel Meneguello (Depto. Ciência Política/IFCH e CESOP/UNICAMP)

Início: 3/2005

Término: 9/2009


Sem resumo
Ocultar
AS BASES DO SUCESSO: ORGANIZAÇÃO LOCAL DOS PARTIDOS POLÍTICOS NA AMÉRICA LATINA

Coordenador Principal: Oswaldo Martins Estanislau Do Amaral

Início: 11/2017

Término: 04/2018


Resumo:

Os partidos políticos são o eixo das democracias representativas. Os partidos desempenham nos regimes democráticos ao menos três funções essenciais: (a) estruturam a competição eleitoral escolhendo os candidatos e simplificando a informação para o eleitor; (b) agregam e organizam interesses; (c) Formam governos e conduzem os trabalhos legislativos. Dessa forma, é fundamental compreender o funcionamento dos partidos políticos em todas as suas dimensões: organizativa, eleitoral e governativa. Os objetivos para o o período de pesquisa no exterior (cinco meses e meio) são: (a) Mapear e classificar os tipos de organização local construídas por cinco partidos latino-americanos entre suas formações e 2015: Partido pela Democracia (PPD, Chile); União Democrática Independente (UDI, Chile); Partido da Revolução Democrática (PRD, México); Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN, Nicarágua); e Aliança Republicana Nacionalista (Arena, El Salvador). (b) Analisar o impacto de variáveis histórico-contextuais e institucionais sobre as formas de desenvolvimento das organizações locais. Para isso, será utilizada uma estratégia comparativa de investigação que vai unir técnicas qualitativas e quantitativas. A pesquisa bibliográfica sobre os partidos e países selecionados será combinada com a análise de dados eleitorais e de surveys, com a realização de análises estatísticas descritivas e inferenciais. Esta proposta de pesquisa se vincula, entre outros, ao Projeto Temático "Organização e Funcionamento da Política Representativa no Estado de São Paulo" (Fapesp, 2012/19330-8), que tem como um dos seus eixos tratar da organização dos partidos políticos no Estado.

Ocultar
BANCO DE DADOS NACIONAIS DE PESQUISAS DE OPINIÃO

Coordenador Principal: Profa. Rachel Meneguello (Depto. Ciência Política/IFCH e CESOP/UNICAMP) e Rosilene Sydney Gelape (CESOP/UNICAMP)

Início: 6/1905


Sem resumo
Ocultar
BASES INSTITUCIONAIS DO PRESIDENCIALISMO BRASILEIRO: INSTITUCIONALIZAÇÃO SISTÊMICA E ESTRUTURAÇÃO (1994-2002)

Coordenador Principal: Aluno: Fernando Augusto Bizzarro Neto - Orientadora: Profa. Rachel Meneguello

Início: 1/2009

Término: 12/2010


Resumo:

A literatura afirma que a melhor forma de explicar o voto para Presidente é a vinculação direta entre eleitor e candidato. Ao mesmo tempo, analisando as coligações para Presidente no período pós-1994 verifica-se que as candidaturas com maior força eleitoral obtinham também mais apoio entre os Governadores, no Congresso, nas Assembléias e nos Municípios. O objetivo foi, assim, compreender a relação que se estabelece entre essas duas dimensões do sistema político. Partindo dos resultados eleitorais oficiais e das coligações formadas, foi possível perceber que a partir de 1994 a dinâmica da eleição presidencial tem estruturado o sistema partidário, influenciando decisivamente em seu processo de institucionalização ao diminuir o descompasso encontrado no começo da Nova República entre a força eleitoral do candidato e a força de suas bases institucionais. Em 1998, tais dados se tornam mais robustos evidenciando a continuidade e a consolidação da capacidade estruturante das eleições presidenciais sobre o sistema político-partidário. Em 2002, novamente os dados sobre as bases institucionais das coligações presidenciais comprovam a hipótese vinculada ao processo de institucionalização e são decisivas para compreender o desfecho da disputa presidencial que elegeu Luiz Inácio Lula da Silva. Assim, a estabilização dos dois principais pólos da disputa presidencial, PT e PSDB, bem como a capacidade desses dois partidos de estruturar o sistema partidário em torno de si confirma que é possível observar o processo de institucionalização do sistema partidário brasileiro a partir das bases institucionais coligadas para as disputas pela Presidência da República.

Ocultar
BASES ORGANIZACIONAIS DOS PARTIDOS POLÍTICOS NO ESTADO DE SÃO PAULO (1994-2010)

Coordenador Principal: Aluno: Jean Lucas Macedo Fernandes - Orientador: Prof. Oswaldo Martins Estanislau do Amaral

Início: 6/2013

Término: 12/2013


Resumo:

O objetivo geral do projeto é elaborar um mapa organizativo dos partidos políticos no estado de São Paulo, entre 1994 e 2012. A partir deste completo mapeamento, poderão ser testadas hipóteses relacionadas aos efeitos da organização sobre a estratégia e o comportamento dos partidos políticos. Este projeto é associado a projeto temático Fapesp que analisa a organização e o funcionamento da política representativa no estado de São Paulo nos últimos 20 anos. Os dados a serem sistematizados e analisados serão obtidos por meio de surveys e através de fontes como TSE, TRE-SP, Fundação Seade e os próprios partidos.

Ocultar
CARACTERIZAÇÃO DOS FILIADOS A PARTIDOS POLÍTICOS NO MUNICÍPIOS DE CAMPINAS: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO

Coordenador Principal: Aluna: Milena de Paula Moreira - Orientador: Prof. Valeriano Mendes Ferreira Costa

Início: 7/2013

Término: 8/2014


Resumo:

A pesquisa analisa os partidos políticos em consonância com seus filiados e militantes, analisando suas relações e a importância de um ao outro como forma de organização do partido, com o objetivo de, focando diretamente aos filiados, tentar caracterizar um perfil dos mesmos e suas relações com os partidos estudados. Avaliando o material coletado e as bibliografias lidas, foi feita uma pesquisa exploratória dos partidos políticos e seus filiados, que foi comparada ao projeto temático Fapesp Organização e funcionamento da política representativa no Estado de São Paulo (1994 a 2014)” para obter uma visão mais panorâmica do processo de filiação nos dias de hoje. A pesquisa consiste no presente momento em uma rica coleta de informações bibliográficas sobre partidos políticos e filiados, além de entrevistas com membros dos partidos PSDB, PMDB e PT do município de Campinas, que complementam esses dados bibliográficos de modo a dar uma visão situacional do atual quadro de filiação desses três partidos na cidade.

Ocultar
CIDADÃOS E DEMOCRACIA: A ADESÃO DEMOCRÁTICA DOS BRASILEIROS NOS ANOS 2006 E 2010

Coordenador Principal: Aluna: Natália Crisitna Padovan Siqueira - Orientadora: Profa. Rachel Meneguello

Início: 8/2012

Término: 7/2013


Resumo:

Inserida na universalidade da democracia, o processo de adesão democrática acompanha o desenvolvimento de diversas nações, e é observado no Brasil, um país de recente democratização, de forma peculiar. Os estudos apontam que uma parcela considerável da população vê o fenômeno democrático como a melhor opção de regime que uma nação pode adotar, no entanto, o mesmo tipo de otimismo não é observado quando a pergunta é estendida para as instituições democráticas e para o próprio governo, uma vez que a atitude mais comum é a desconfiança institucional. Partindo, portanto, dessa situação paradoxal – já que a democracia é vista de forma positiva, mas a confiança nas instituições democráticas quase não existe - procuro descrever quem é o eleitor do Brasil, o cidadão, que apoia a democracia, vê o Brasil como um país democrático, porém não está satisfeito com o seu funcionamento, uma vez que possui uma confiança pouco expressiva nas instituições democráticas, como o Congresso Nacional e os Partidos Políticos. Essa análise será feita com base nos dados de 2 surveys acadêmicos nacionais, o ESEB 2006 e 2010.

Ocultar
COMPARTILHAMENTO E CONTROLE: COALIZÕES GOVERNAMENTAIS E SEU EFEITO NO LEGISLATIVO

Coordenador Principal: Andréa Marcondes de Freitas

Início: 09/2017

Término: 08/2018


Resumo:

Os presidentes brasileiros sistematicamente formam coalizões, ou seja, dividem pastas ministeriais entre os partidos do Legislativo. Na divisão de pastas ministeriais, o partido eleito para o Executivo delega poder aos parceiros da coalizão sobre áreas políticas. Delegação envolve riscos, por exemplo, de que o agente se distancie da preferência do ator que delegou. Estudos sobre os riscos de delegação e mecanismos para controlar esses riscos identificaram, em alguns casos, o Legislativo como esfera de controle entre os membros da coalizão. Foram realizados, majoritariamente, em sistemas parlamentaristas (Thies, 2001; Martin e Vanberg; 2005), mas existem também em sistemas presidencialistas (Freitas, 2016). A presente pesquisa busca averiguar como os membros da coalizão lidam com os riscos inerentes da delegação, verificando se no caso brasileiro, o Legislativo funciona, também, como instrumento de controle entre os parceiros da coalizão. Para isso serão analisados os Ministros e Relatores de todos os projetos pelo Executivo que foram aprovados no período de 1995 a 2014. (AU)

Ocultar
COMPORTAMENTO ELEITORAL E ESTRATÉGIAS PARTIDÁRIAS DE RECRUTAMENTO DOS DEPUTADOS ESTADUAIS EVANGÉLICOS EM SÃO PAULO (2002-2014)

Coordenador Principal: Rachel Meneguello

Início: 10/2016

Término: 02/2018


Resumo:

O projeto tem por objetivo compreender a relação entre religião e política nas eleições proporcionais no estado de São Paulo entre 2002 e 2014. Baseado na literatura sobre clivagens sociais e na abordagem sociológica do voto, são dois os objetivos principais do trabalho: compreender que tipo de contexto é propício à formação de preferências eleitorais por políticos evangélicos e compreender como a relação entre religião e política se desenvolve na dimensão do recrutamento partidário. São duas as hipóteses que orientam esse trabalho: a) A partir de estratégias de recrutamento centradas nos líderes partidários e nas regras informais do jogo eleitoral, as agremiações utilizam-se das "máquinas evangélicas" como atalhos para a seleção de candidatos que possuam apelo eleitoral com o fim de angariar mais votos para a legenda; b) o voto nos candidatos evangélicos em São Paulo está concentrado majoritariamente nos territórios de maior vulnerabilidade social e nos estratos sociais com menor escolaridade e renda. A metodologia utilizada é quantitativa, envolvendo dados agregados do TSE e IBGE, além de uma parte qualitativa que engloba a realização de entrevistas com líderes partidários, religiosos e deputados estaduais.

Ocultar
COMPORTAMENTO ELEITORAL NAS ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS DE 2010: ANÁLISE DA VOTAÇÃO EM DILMA ROUSSEFF

Coordenador Principal: Aluna: Monize Arquer Fernandes - Orientadora: Profa. Rachel Meneguello

Início: 9/2011

Término: 7/2012


Resumo:

Pensando no sucesso dos programas sociais do governo Lula, particularmente no Bolsa Família, na avaliação positiva recebida pelo governo, e na grande popularidade que conseguiu reunir ao fim de seus 8 anos, este trabalho se propôs a analisar quão relevantes foram esses fatores para a vitória de Dilma Rousseff nas eleições presidenciais de 2010. Esse estudo teve como base artigos sobre comportamento político recente no Brasil e o survey acadêmico que faz parte da coleção CSES-ESEB (Comparative Study of Electoral Systems – Estudo Eleitoral Brasileiro), coordenado pelo Cesop da Unicamp, no qual foram analisadas perguntas sobre participação em programas sociais, condição econômica e avaliação do governo. A pesquisa mostra que as regiões onde a candidata recebeu mais votos, coincidem com aquelas nas quais o Bolsa Família teve maior incidência. As variáveis socioeconômicas apresentam um movimento ascendente de classes sociais, mostram que grande parte dos indivíduos considera sua condição econômica melhor ou igual no fim do governo Lula e que a avaliação positiva deste, no âmbito econômico, está presente em todas as regiões do país. Esses dados, somados ao fato de 60% dos indivíduos valorizarem a identificação do candidato com um partido, indicam a relevância que o governo Lula teve sobre a vitória de Dilma.

Ocultar
DIREITOS HUMANOS, RELAÇÕES DE GÊNERO E POLÍTICA SOCIAL: ANÁLISE DA RECEPÇÃO DE PROGRAMAS DE RENDA FOCADOS NA MULHER NA ÍNDIA E NO BRASIL

Coordenador Principal: Profa. Walquiria Leão Rego (Departamento de Ciência Política UNICAMP)

Início: 7/2008

Término: 7/2011


Sem resumo
Ocultar
DO LIXO AOS RESÍDUOS URBANOS, TRANSFORMAÇÃO EM ENERGIA E VALOR AGREGADO

Coordenador Principal: Prof. Dr. Valeriano Mendes Ferreira Costa (Depto. Ciência Política/IFCH e CESOP/UNICAMP)

Início: 8/2009

Término: 12/2010


Sem resumo
Ocultar
EMBATES POLÍTICO-IDEOLÓGICOS NA CRISE EUROPÉIA: O CASO DA CENTRO-ESQUERDA E DA CENTRO-DIREITA NO PARLAMENTO EUROPEU

Coordenador Principal: Aluno: Octávio Forti - Orientadora: Profa. Rachel Meneguello

Início: 3/2012

Término: 10/2013


Resumo:

Este trabalho tem como objetivo demonstrar os posicionamentos partidários das duas maiores agremiações e grupos transnacionais do Parlamento Europeu em relação à crise europeia, que se refletiu na área econômica, financeira, social e de emprego, no período entre 2009 e 2011. Para isto, esta dissertação analisou os programas partidários do S&D e do PPE-DC e seus documentos produzidos em quatro comissões do Parlamento Europeu. A principal conclusão dessa dissertação é que a ideologia foi importante para definir posicionamentos observados no âmbito das agremiações transnacionais. A partir desta descoberta, identificou-se também que a agremiação transnacional de esquerda e seu respectivo grupo no Parlamento Europeu produziram respostas políticas relacionadas a elementos da Terceira Via. Com referência à direita, descobriu-se que ainda persiste a defesa de políticas neoliberais. Outro achado importante foi que embora ambos os grupos apresentassem respostas e soluções diferenciadas para a crise, votaram em conjunto em muitos relatórios finais, mostrando que em âmbito transnacional os grupos tendem a cooperar mais do que competir.

Ocultar
EMPRESARIADO E O FINANCIAMENTO POLÍTICO: DINÊMICA E PADRÕES DAS DOAÇÕES DE CAMPANHA DOS SEGMENTOS ECONÔMICOS

Coordenador Principal: Aluno: Rodrigo Dolandeli - Orientador: Prof. Bruno Wilhelm speck

Início: 3/2013

Término: 2/2016


Resumo:

O objetivo do projeto é identificar padrões de doações de campanha realizadas pelo empresariado nas eleições gerais de 2002, 2006, 2010 e 2014. Investigaremos a associação do investimento eleitoral das empresas e as agendas de ação política dos segmentos econômicos. Testaremos na pesquisa a hipótese de coordenação do financiamento de campanha em função da institucionalização dos respectivos setores empresariais, identificada pela atuação e agenda de suas associações de classe

Ocultar
ESCOLA SÃO PAULO DE CIÊNCIA AVANÇADA EM METODOLOGIA PARA CIÊNCIAS HUMANAS

Coordenador Principal: Rachel Meneguello

Início: 07/2017

Término: 07/2017


Resumo:

A Escola São Paulo de Ciência Avançada em Metodologia (ESPCA) em Ciências Humanas terá duração de 10 dias e será dividida em três atividades: cursos, palestras e apresentação de trabalhos. Serão, ao todo, oito cursos com conteúdo teórico e prático e carga horária de 20 horas cada. Na primeira semana da Escola serão ministrados quatro cursos e, na segunda, os outros quatro. Pela manhã haverá aulas expositivas e, à tarde, a realização de workshops onde os alunos aplicarão o que aprenderam na parte da manhã. Relação de Mini-Cursos: 1) Análise histórica dos acontecimentos Benoît Laplante (INRS). 2) Big Data e mineração de dados para as Ciências Sociais Wagner Meira (UFMG). 3) Análise Multinível aplicada às Ciências Sociais Maira Covre (UERJ). 4) Análise Histórico Comparada (AHC) Tulia Falleti (University of Pennsylvania). 5) Experimentos em Ciências Sociais Natália Bueno (Yale University). 6) Etnografia digital Edgar Gomez-Cruz (Melbourne University). 7) Etnografia em arquivos: Entrecruzamento entre Antropologia e História Christiano Key Tambascia (Unicamp). 8) Redes de parentesco Márcio Silva (USP). Programação detalhada: Dia 10 de Julho de 2017 8h - 10h - Recepção aos participantes. 10h - 12h - Visita ao Instituto e aos centros de pesquisa. 12h - 14h - Almoço. 14h - 18h - Minicursos 1, 2, 3, e 4 (Aulas concomitantes). 19h - 20h30 -Palestra de abertura. Dia 11 a 14 de julho de 2017 9h - 13h - Minicursos 1, 2, 3, e 4 (Aulas concomitantes). 13h - 14h30 - Almoço 14h30 - 17h30 - Workshop / Apresentação de trabalhos 17h30 - 18h - Coffee break 18h - 19h30 - Palestra Dia 17 a 21 de julho de 2017 9h - 13h - Minicursos 5, 6, 7 e 8 (Aulas concomitantes). 13h - 14h30 -Almoço. 14h30 - 17h30 - Workshop / Apresentação de trabalhos 17h30 - 18h - Coffee break 18h - 19h30 - Palestra. (AU)

Ocultar
ESEB 2010: TERCEIRA ONDA DO ESTUDO SOBRE O SISTEMA ELEITORAL BRASILEIRO E ASPECTOS DA CULTURA POLÍTICA

Coordenador Principal: Profa. Dra. Rachel Meneguello (Depto. Ciência Política/IFCH e CESOP/UNICAMP)

Início: 11/2008

Término: 11/2010


Sem resumo
Ocultar
ESTUDO DA REPRESENTAÇÃO POLÍTICA: CAPACIDADE REPRESENTATIVA DO SISTEMA PARTIDÁRIO E ELEITORAL EM SÃO PAULO

Coordenador Principal: Rachel Meneguello

Início: 08/2015

Término: 07/2017


Resumo:

O objetivo geral deste projeto é analisar a organização e o funcionamento da política representativa no estado de São Paulo entre 1994 e 2014. O projeto está voltado para a compreensão de três dimensões: a) a organizacional, que objetiva identificar a estrutura organizacional dos partidos políticos, a distribuição de poder intrapartidário, as fontes de financiamento e de recrutamento político, bem como as características das elites partidárias e dos filiados; b) a competitiva, que tem como finalidade compreender o padrão de competição no estado e nas regiões intra-estaduais, identificando as bases das forças políticas e suas estratégias eleitorais e de organização; e c) a representativa, que busca analisar os padrões de votação no estado no período, assim como a qualidade da relação entre os eleitores e o sistema de representação em São Paulo. Em termos analíticos, o projeto busca mostrar a importância das variáveis de natureza organizacional para apreender o desenvolvimento dos partidos no estado, e das variáveis contextuais tanto institucionais, quanto estruturais socioeconômicas na compreensão do comportamento eleitoral, abrindo-se para o terreno das abordagens que reconhecem o impacto dos diferentes níveis da realidade social sobre o comportamento político de indivíduos e grupos, sem que isso se contraponha aos parâmetros da racionalidade e do papel das instituições. Em termos metodológicos, o projeto enfatiza a pesquisa empírica e seus objetivos serão atingidos por meio da produção e análise de dados de nível individual obtidos em pesquisas tipo survey, de dados institucionais partidários, organizados a partir de informações a serem coletadas nos próprios partidos, dados eleitorais oficiais obtidos junto ao TSE e TRE-SP, além de dados socioeconômicos organizados pela Fundação Seade e IBGE.

Ocultar
ESTUDO DAS BASES DA ORGANIZAÇÃO PARTIDÁRIA NO ESTADO: A DIMENSÃO DO VOTO, MAPEAMENTO E ANÁLISE DAS VOTAÇÕES NOS MUNICÍPIOS PAULISTAS ENTRE 1994-2014

Coordenador Principal: Rachel Meneguello

Início: 04/2016

Término: 03/2018


Resumo:

O objetivo geral deste projeto é analisar a organização e o funcionamento da política representativa no estado de São Paulo entre 1994 e 2014. O projeto está voltado para a compreensão de três dimensões: a) a organizacional, que objetiva identificar a estrutura organizacional dos partidos políticos, a distribuição de poder intrapartidário, as fontes de financiamento e de recrutamento político, bem como as características das elites partidárias e dos filiados; b) a competitiva, que tem como finalidade compreender o padrão de competição no estado e nas regiões intra-estaduais, identificando as bases das forças políticas e suas estratégias eleitorais e de organização; e c) a representativa, que busca analisar os padrões de votação no estado no período, assim como a qualidade da relação entre os eleitores e o sistema de representação em São Paulo. Em termos analíticos, o projeto busca mostrar a importância das variáveis de natureza organizacional para apreender o desenvolvimento dos partidos no estado, e das variáveis contextuais tanto institucionais, quanto estruturais socioeconômicas na compreensão do comportamento eleitoral, abrindo-se para o terreno das abordagens que reconhecem o impacto dos diferentes níveis da realidade social sobre o comportamento político de indivíduos e grupos, sem que isso se contraponha aos parâmetros da racionalidade e do papel das instituições. Em termos metodológicos, o projeto enfatiza a pesquisa empírica e seus objetivos serão atingidos por meio da produção e análise de dados de nível individual obtidos em pesquisas tipo survey, de dados institucionais partidários, organizados a partir de informações a serem coletadas nos próprios partidos, dados eleitorais oficiais obtidos junto ao TSE e TRE-SP, além de dados socioeconômicos organizados pela Fundação Seade e IBGE. (AU)

Ocultar
ESTUDO SOBRE LEALDADE PARTIDÁRIA NO MUNICÍPIO DE VINHEDO: COMPREENDER AS MOTIVAÇÕES POLÍTICAS NO ATO DE FILIAÇÃO E DESFILIAÇÃO (MIGRAÇÃO INTERPARTIDÁRIA)

Coordenador Principal: Aluno: Marcello Arturo Rigollet Penchiari - Orientador: Prof. Bruno Wilhelm Speck

Início: 4/2013

Término: 12/2013


Resumo:

O presente projeto consiste em analisar o comportamento e as motivações dos membros partidários, em relação ao ato de filiação a seus atuais partidos, e desfiliação, para a adesão (migração intrapartidária) ou não a outros. Serão aplicados questionários – escolha aleatória dos entrevistados – com os filiados dos partidos da zona eleitoral de Vinhedo, (25 partidos registrados, contabilizando 6.433 filiados no município) visando avaliar o histórico político de cada entrevistado. Espera-se resposta mínima de 50% de feedback em relação ao questionário preenchido (250 preenchimentos). Pretender-se-á avaliar a relevância das lealdades partidárias para as carreiras políticas de cada membro partidário entrevistado. As diferentes frequências nos trânsitos intrapartidários observados serão definidores à pesquisa, pois captarão tendências à sedimentação de lealdades organizacionais ou não. Tendo conhecimento da experiência e histórico político de cada membro filiado, poderemos compreender se as motivações e situações vigentes – 1. Filiação e permanência no partido de origem, 2. Intercâmbio partidário (migração para outro), 3. Membro filiado a um partido ou mais de um historicamente, pretendendo sair do universo político – estão embasadas sob cunho ideológico ou pragmático. Na argumentação teórica, seguiremos a linha de autores (MAINWARING & ZOCO), que apontam a volatilidade eleitoral como um indicador para reconhecer baixos ou altos índices de institucionalização de um sistema partidário sob um regime democrático. De forma paralela iremos alicerçar o índice de volatilidade eleitoral como sendo diretamente proporcional ao índice de volatilidade de migração filial, indicando que a oscilação da preferência partidária acompanha a mesma lógica da preferência eleitoral.

Ocultar
FINANCIAMENTO ELEITORAL: O CASO DA REGIÃO METROPOLITANA DE CAMPINAS NAS ELEIÇÕES DE 2012

Coordenador Principal: Aluna: Letícia Bona Travagin - Orientador: Prof. Bruno Wilhelm speck

Início: 2/2013

Término: 12/2013


Resumo:

O tema do Financiamento Partidário e Eleitoral é corrente no debate político brasileiro. Discute-se sobre a necessidade de reforma na estrutura do financiamento da máquina partidária e eleitoral, diante dos frequentes escândalos envolvendo representantes eleitos e grandes quantias irregulares de dinheiro. No entanto, os esforços institucionais nesse sentido ainda são incipientes. A produção acadêmica em Ciência Política não está ausente neste debate. Contudo, a maior parte dos estudos acerca deste tema ainda inclina-se sobre os dados do financiamento de eleições gerais. Por isso, propõe-se aqui acrescentar aos estudos da área uma análise do dinheiro no processo eleitoral municipal. O objetivo fundamental deste projeto é compreender o perfil do financiamento da disputa eleitoral da Região Metropolitana de Campinas (RMC), tendo em vista os dados referentes às eleições municipais da região no ano de 2012. Pretende-se trabalhar sobre as origens das receitas e o volume das despesas dos candidatos aos cargos de vereador e prefeito, em relação à competitividade das disputas eleitorais e às magnitudes dos colégios eleitorais dos municípios da RMC. Serão apresentados os resultados das análises para a região como uma unidade e para os três grupos de municípios, definidos segundo o tamanho do eleitorado. A metodologia seguirá os critérios da Estatística Descritiva, em resumo: organização e manipulação dos dados, análise dos resultados obtidos e redação de um relatório de inferência estatística completa para o perfil de financiamento eleitoral na RMC.

Ocultar
FORMAÇÃO DE GOVERNOS ESTADUAIS BRASILEIROS EM PERSPECTIVA COMPARADA (1987-2010)

Coordenador Principal: Aluno: Vítor Eduardo Veras de Sandes Freitas - Orientadora: Profa. Rachel Meneguello

Início: 6/2011

Término: 9/2013


Resumo:

O presente projeto de pesquisa tem como objetivo analisar a lógica de formação de governos nos estados do Piauí, Ceará, Rio de Janeiro, São Paulo, Pará e Rondônia, no período de 1987 a 2010. Esta pesquisa visa compreender como os partidos políticos têm se articulado nos estados brasileiros para a formação de governos e coalizões no atual contexto democrático. Observa-se que apesar dos estados terem dinâmicas políticas particulares e diferenciadas entre si, as disputas eleitorais no nível nacional têm impactado sobre as dinâmicas políticas estaduais, principalmente a partir de 1994. É a partir das eleições gerais de 1994 que tem ocorrido o processo de nacionalização da política, na qual a dinâmica de competição eleitoral estabelecida nas eleições presidenciais tem influenciado a dinâmica dos pleitos nos estados brasileiros. Nesse sentido, a hipótese dessa pesquisa é de que, no período pós-1994, as estratégias dos atores políticos estaduais têm sido crescentemente orientadas pela lógica das disputas de nível nacional, impactando sobre a formação de governos estaduais. Essa hipótese contraria a tese de Lima Junior (1983; 1997) quanto à existência de racionalidades políticas contextuais como variável suficiente para explicar o comportamento partidário nos estados no novo contexto democrático brasileiro.

Ocultar
GOVERNOS DE ESQUERDA E A QUALIDADE DA DEMOCRACIA NA AMÉRICA LATINA

Coordenador Principal: Maria Do Socorro Sousa Braga

Início: 05/2012

Término: 10/2014


Resumo:

A história recente da política latino-americana pode ser dividida em dois períodos: em um primeiro momento, com o fim de regimes autoritários, deu-se início a processos de democratização, de liberalização econômica e de ascensão do neoliberalismo, que perduraram até meados da década de 1990; e, posteriormente, com a crise do modelo neoliberal, verificou-se o surgimento de novas lideranças políticas, o reaparecimento de movimentos sociais e a reação popular contra reformas em direção ao mercado. Nesse contexto, observou-se o fortalecimento de partidos de esquerda e de centro-esquerda que acabaram chegando ao controle dos Executivos Nacionais de vários paises da região. A partir desses pressupostos, o objetivo primordial desta pesquisa é investigar a atuação e os efeitos dos governos de esquerda no Brasil (2003-2010), no Chile (2000-2010), na Bolívia (2006-2010) e na Venezuela (1999-2010) sobre a qualidade da democracia nesses países. (AU)

Ocultar
LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÕES SOBRE O COMPORTAMENTO DE EMPRESAS PARA O FINANCIAMENTO PRIVADO DE CAMPANHAS ELEITORAIS

Coordenador Principal: Prof. Dr. Bruno W. Speck - Depto. Ciência Política IFCH e CESOP/UNICAMP

Início: 7/2013

Término: 12/2013


Sem resumo
Ocultar
MODERNIZAÇÃO E AMPLIAÇÃO DA INFRAESTRUTURA DE PESQUISA DO CENTRO DE ESTUDOS DE OPINIÃO PÚBLICA - CESOP

Coordenador Principal: Valeriano Mendes Ferreira Costa

Início: 12/2014

Término: 11/2015


Resumo:

Este projeto visa a modernização e ampliação da infraestrutura institucional e de pesquisa do Centro de Estudos de Opinião Pública (CESOP) da UNICAMP de modo a dar maior visibilidade ao Centro e às suas atividades-fim (a realização de pesquisas nas áreas de comportamento eleitoral e representação política, opinião pública e políticas públicas e estudos sobre democracia e cultura política; a produção de recursos de pesquisa através do Banco de Dados Nacionais de Pesquisas de Opinião; o desenvolvimento da reflexão científica nas áreas afins através da Revista Opinião Pública e a formação de recursos humanos em suas áreas de pesquisa através do apoio às atividades de graduação e pós-graduação da Universidade e da realização de cursos de extensão) junto a comunidade acadêmica nacional e internacional.O projeto compreende três importantes ações: 1) a renovação dos equipamentos de informática; 2) a reestruturação de equipamento de multimídia para sala de apoio a atividades de extensão, ensino e pesquisa e 3) o desenvolvimento de um novo site institucional como ferramenta de acesso a informações de pesquisa e relatórios, ao Banco de Dados Nacionais de Pesquisas de Opinião de pesquisas por amostragem e à publicação do Centro - Revista Opinião Pública - que se fazem necessárias para ampliar, fortalecer e para dar visibilidade aos projetos desenvolvidos em suas linhas de pesquisa (Organização e divulgação do Banco de Dados de pesquisa de Opinião Pública; Estudos sobre instituições governamentais e das percepções e atitudes públicas sobre ações governamentais e políticas públicas; Estudos de comportamento político e eleitoral, comportamento social e de Mídia e política); para aumentar a capacidade de armazenamento, processamento e acesso público às pesquisas do Banco de Dados Nacionais de Pesquisas de Opinião; para modernizar a editoração científica da Revista Opinião Pública e facilitar e ampliar o acesso a seus artigos por áreas, autores e fascículos e para ampliar a participação do centro nas atividades de ensino e extensão da universidade, através da realização de cursos sobre métodos e técnicas de elaboração e análise de resultados de pesquisa quantitativa. O CESOP é reconhecido através dos projetos que desenvolve, dos quais destacamos, por seus impactos nacional e internacional: o Banco de Dados Nacionais de Pesquisas de Opinião, que atualmente conta com mais de 3.500 bases de dados de pesquisas por amostragem no campo do comportamento social e político; a Revista Opinião Pública, que publica artigos científicos nacionais e estrangeiros sobre teoria e metodologia no campo da opinião pública; comportamentos eleitoral, político e social; instituições representativas; democracia e regimes políticos; políticas públicas e temas afins nas Ciências Sociais e é considerada pelo Qualis CAPES como a única revista especializada em temas próprios da Ciência Política e a participação do CESOP como representante brasileiro no Comparative Study of Electoral Systems Project (www.cses.org), coordenado pela Universidade de Michigan, projeto que reúne representantes vários países no estudo da capacidade representativa dos sistemas eleitorais e partidários, através do qual o CESOP realiza o Estudo Eleitoral Brasileiro (ESEB) desde 2002, pesquisa por amostragem pós-eleitoral de abrangência nacional. Na realização desses projetos de pesquisa e atividades-fim, o CESOP insere alunos de graduação visando contribuir na formação acadêmica e científica. O Centro também sedia o Grupo de Estudos em Política Brasileira, formado por alunos da Pós-Graduação em Ciência Política e da Graduação em Ciências Sociais da UNICAMP. Assim, as ações propostas por este projeto de modernização e ampliação da infraestrutura institucional e de pesquisa do CESOP visam ainda consolidá-lo como ambiente de estudos e pesquisa, ampliando o envolvimento de alunos dos Programas de Pós-Graduação e Graduação em suas linhas de pesquisa e em suas atividades-fim. (AU)

Ocultar
MÚSICAS E MÚSICOS DA TV DE SÃO PAULO: TRABALHO, DISTINÇÃO E IDENTIDADE (1954-1969)

Coordenador Principal: Profa. Dra. Rita de Cássia L. Morelli (Depto. Ciência Política/IFCH e CESOP/UNICAMP)

Início: 1/2009

Término: 12/2010


Sem resumo
Ocultar
O PRESIDENCIALISMO DE COALIZÃO NA ESFERA MUNICIPAL DO BRASIL

Coordenador Principal: Aluno: Vitor Vasquez - Orientadora: Profa. Rachel Meneguello

Início: 6/2012

Término: 6/2013


Resumo:

O objetivo do presente projeto é compreender como os partidos políticos participam e que papel desempenham nas eleições para a prefeitura de pequenos municípios do Brasil. Para tanto, entendemos que uma dimensão de análise mais específica do sistema partidário é fundamental: a oferta partidária para candidatos ao executivo municipal. Desta maneira, analisaremos a quantidade de partidos com candidatos, destacando aqueles exitosos nos pleitos. Colocaremos os municípios de pequeno porte, aqueles com número de eleitores inferior a 20.000, em perspectiva com: (i) municípios de médio porte, de 20.000 a 200.000 eleitores; (ii) municípios de grande porte, mais de 200.000 eleitores, estados, região e governo federal. Nossa hipótese de pesquisa é que nos municípios de pequeno porte a competitividade partidária tende a ser menor. Isto porque a estratégia e o protagonismo dos partidos no Brasil varia conforme o tamanho do colégio eleitoral no qual estão inseridos. Realizaremos nossa pesquisa nas eleições locais ocorridas de 1996 a 2012 e nas estaduais e nacional que aconteceram de 1994 a 2010, percorrendo todos os municípios e estados do Brasil, além da competição presidencial.

Ocultar
O QUE SABEMOS SOBRE A (IN)SATISFAÇÃO COM A DEMOCRACIA NO BRASIL? ORIENTAÇÕES AVALIATIVAS DO REGIME DEMOCRÁTICO SEGUNDO OS BRASILEIROS NO PERÍODO DEMOCRÁTICO RECENTE (2002-2014)

Coordenador Principal: Fabíola Brigante Del Porto

Início: 08/2016

Término: 07/2018


Resumo:

O objetivo geral deste projeto é realizar um estudo aprofundado sobre o conceito de satisfação com a democracia no Brasil a partir da análise longitudinal de medidas de nível individual provenientes de surveys nacionais para o período democrático recente (2002-2014). Entendendo a satisfação com a democracia como fenômeno multifacetado, o projeto analisa as dimensões de avaliações dos governantes do momento, das instituições representativas, dos serviços e políticas públicas e das normas e procedimentos do regime e verifica quais dimensões são mais importantes para estruturar a (in)satisfação geral dos cidadãos com a democracia no cenário brasileiro recente. Os objetivos específicos são: 1. Revisar a bibliografia internacional e nacional sobre legitimidade e eficácia democráticas, descontentamento, insatisfação e apoio político para conceituar a satisfação com a democracia; 2. Analisar empiricamente os correlatos da medida de satisfação com o funcionamento da democracia em diferentes instrumentos de pesquisa e longitudinalmente de modo a verificar possíveis variações e/ou ambiguidades da medida; 3. Abordar a avaliação do regime democrático como construto multidimensional de modo a avançar no entendimento das percepções que os cidadãos têm sobre o desempenho do regime democrático, compreendendo com que dimensões do regime os cidadãos o avaliam e 4. Verificar se os conteúdos da satisfação com a democracia são diferentes para grupos de indivíduos com clivagens sociais distintas. Além do entendimento da satisfação com a democracia em termos multidimensionais, o projeto visa contribuir com os estudos de apoio político no Brasil ao incluir na análise as percepções sobre aspectos normativos da democracia representativa, como o voto, as eleições e a capacidade representativa do sistema. A hipótese aponta que os níveis de satisfação com o regime democrático são condicionados não apenas pela avaliação de seus resultados, mas também da eficácia de seus aspectos normativos. É a inclusão dessa percepção de procedimentos que faz com que a avaliação da democracia diferencie-se conceitual e empiricamente da avaliação dos governantes do momento. (AU)

Ocultar
ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DA POLÍTICA REPRESENTATIVA NO ESTADO DE SÃO PAULO (1994 A 2014)

Coordenador Principal: Profa. Rachel Meneguello (Depto. Ciência Política/IFCH e CESOP/UNICAMP)

Início: 5/2013

Término: 5/2017


Sem resumo
Ocultar
ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DA POLÍTICA REPRESENTATIVA NO ESTADO DE SÃO PAULO (1994 E 2014)

Coordenador Principal: Rachel Meneguello

Início: 05/2013

Término: 04/2018


Resumo:

O objetivo geral deste projeto é analisar a organização e o funcionamento da política representativa no estado de São Paulo entre 1994 e 2014. O projeto está voltado para a compreensão de três dimensões: a) a organizacional, que objetiva identificar a estrutura organizacional dos partidos políticos, a distribuição de poder intrapartidário, as fontes de financiamento e de recrutamento político, bem como as características das elites partidárias e dos filiados; b) a competitiva, que tem como finalidade compreender o padrão de competição no estado e nas regiões intra-estaduais, identificando as bases das forças políticas e suas estratégias eleitorais e de organização; e c) a representativa, que busca analisar os padrões de votação no estado no período, assim como a qualidade da relação entre os eleitores e o sistema de representação em São Paulo. Em termos analíticos, o projeto busca mostrar a importância das variáveis de natureza organizacional para apreender o desenvolvimento dos partidos no estado, e das variáveis contextuais tanto institucionais, quanto estruturais socioeconômicas na compreensão do comportamento eleitoral, abrindo-se para o terreno das abordagens que reconhecem o impacto dos diferentes níveis da realidade social sobre o comportamento político de indivíduos e grupos, sem que isso se contraponha aos parâmetros da racionalidade e do papel das instituições. Em termos metodológicos, o projeto enfatiza a pesquisa empírica e seus objetivos serão atingidos por meio da produção e análise de dados de nível individual obtidos em pesquisas tipo survey, de dados institucionais partidários, organizados a partir de informações a serem coletadas nos próprios partidos, dados eleitorais oficiais obtidos junto ao TSE e TRE-SP, além de dados socioeconômicos organizados pela Fundação Seade e IBGE. (AU)

Ocultar
ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DA POLÍTICA REPRESENTATIVA NO ESTADO DE SÃO PAULO (1994 E 2014)

Coordenador Principal: Rachel Meneguello

Início: 05/2013

Término: 04/2018


Resumo:

O objetivo geral deste projeto é analisar a organização e o funcionamento da política representativa no estado de São Paulo entre 1994 e 2014. O projeto está voltado para a compreensão de três dimensões: a) a organizacional, que objetiva identificar a estrutura organizacional dos partidos políticos, a distribuição de poder intrapartidário, as fontes de financiamento e de recrutamento político, bem como as características das elites partidárias e dos filiados; b) a competitiva, que tem como finalidade compreender o padrão de competição no estado e nas regiões intra-estaduais, identificando as bases das forças políticas e suas estratégias eleitorais e de organização; e c) a representativa, que busca analisar os padrões de votação no estado no período, assim como a qualidade da relação entre os eleitores e o sistema de representação em São Paulo. Em termos analíticos, o projeto busca mostrar a importância das variáveis de natureza organizacional para apreender o desenvolvimento dos partidos no estado, e das variáveis contextuais tanto institucionais, quanto estruturais socioeconômicas na compreensão do comportamento eleitoral, abrindo-se para o terreno das abordagens que reconhecem o impacto dos diferentes níveis da realidade social sobre o comportamento político de indivíduos e grupos, sem que isso se contraponha aos parâmetros da racionalidade e do papel das instituições. Em termos metodológicos, o projeto enfatiza a pesquisa empírica e seus objetivos serão atingidos por meio da produção e análise de dados de nível individual obtidos em pesquisas tipo survey, de dados institucionais partidários, organizados a partir de informações a serem coletadas nos próprios partidos, dados eleitorais oficiais obtidos junto ao TSE e TRE-SP, além de dados socioeconômicos organizados pela Fundação Seade e IBGE. (AU)

Ocultar
OS JOVENS DA DEMOCRACIA: ESTUDO DOS VALORES POLITICOS DEMOCRATICOS DAS COORTES DA JUVENTUDE BRASILEIRA DO PERIODO POS-85.

Coordenador Principal: Aluna: Fabíola Brigante Del Porto - Orientadora: Profa. Dra. Rachel Meneguello

Início: 4/2007

Término: 3/2011


Resumo:

Estudo de doutorado que analisou os valores políticos (preferência por regimes, confiança política, eficácia política, voto e hábitos de conversa e informação políticas) dos jovens da democratização brasileira no período 1989-2006. Com o pressuposto de que as experiências políticas mais recentes importam mais na avaliação e adesão ao regime corrente, a hipótese é que a faixa etária dos indivíduos (coorte ou ciclo de vida) não impacta seus valores. Os dados mostraram que só a desconfiança diminuiu da coorte mais nova a mais velha, levando a perguntar se a diferença não era efeito do ciclo de vida ou efeito composicional.Quando se comparou o impacto da instrução sobre a desconfiança por faixa etária, ele foi até menor sobre os jovens.A instrução afetou, porém, a preferência por regimes, sugerindo que os mais novos, que não viveram a ditadura, dependem da mediação escolar para formarem preferências políticas.

Ocultar
PESQUISA SOBRE A PARTICIPAÇÃO DAS MULHERES NO PROCESSO ELEITORAL DE 2010, NUMA PERSPECTIVA DE GÊNERO

Coordenador Principal: Prof. Dr. Bruno Speck (Depto. Ciência Política/IFCH e CESOP/UNICAMP e Profa. Dra. Teresa Sacchet (NPP/USP)

Início: 1/2011

Término: 5/2011


Sem resumo
Ocultar
PMDB: ORGANIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EM SÃO PAULO (1994-2010)

Coordenador Principal: Aluno: Fernando Augusto Bizzarro Neto - Orientadora: Profa. Rachel Meneguello

Início: 1/2011

Término: 12/2013


Resumo:

Essa pesquisa consiste em uma análise da organização interna, do processo de institucionalização e das inserções eleitoral, parlamentar e governativa do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) em São Paulo no período 1994-2010. Para isso, abordaremos o objeto a partir das perspectivas teóricas presentes nos trabalhos de Panebianco (2005), Katz e Mair (1995; 2009) e Van Biezen (2003) e também à luz da tradição explicativa dos partidos no Brasil, procurando demonstrar a importância do estudo organizacional para a compreensão de sua dinâmica política. Destacar-se-ão a trajetória do PMDB em São Paulo desde o fim dos anos 80, a liderança política exercida por Orestes Quércia sobre o partido no período e o declínio eleitoral do PMDB-SP entre 1994 e 2010. As fontes que utilizaremos para atingir tais objetivos serão os dados oficiais eleitorais, organizativos e financeiros do partido, fontes produzidas pelo próprio PMDB, fontes jornalísticas, pesquisas de opinião vinculadas ao tema da identidade partidária e entrevistas com as principais lideranças. Como este é um estudo que busca caracterizar a organização partidária, realizaremos também um survey com os delegados da Convenção Estadual a ser realizada no fim do ano de 2011 para analisar as trajetórias políticas das lideranças.

Ocultar
PRESIDENTE, COALIZÃO E MAIORIA: A IMPORTÂNCIA DAS POLÍTICAS NO MANEJO DAS COALIZÕES EM SISTEMAS PRESIDENCIALISTAS

Coordenador Principal: Andréa Marcondes de Freitas

Início: 06/2015

Término: 05/2017


Resumo:

Governos de coalizão são criticados por diluir a responsabilidade política. Nenhum partido ou governante pode ser responsabilizado pelas políticas implementadas. Eleitores não teriam como identificar os responsáveis. De fato, não se sabe muito bem como governos de coalizão funcionam. Duas alternativas dividem os estudiosos do tema. De um lado há os que afirmam que governos de coalizão funcionam de forma colegiada, isto é, em que todos os partidos membros da coalizão tomam parte e, portanto, são responsáveis pelas medidas tomadas. No outro extremo, há os que afirmam que governo de coalizão repartem o espaço político e as responsabilidades de acordo com a distribuição de pastas ministeriais. Se um partido recebe uma pasta, recebe também autonomia para decidir as políticas sobre sua responsabilidade. Entre estas duas visões polares, há um sem número de alternativas e possibilidades. No caso do regime presidencial em que o chefe do Executivo é eleito pelo voto popular, é claro que nenhuma das duas visões pode ser estritamente verdadeira. Em ambos os casos, o presidente cederia muito poder aos parceiros. Contudo, governo de coalizão não é o mesmo que governo unipartidário mesmo onde o chefe do executivo, como é o caso do Brasil, detém uma gama considerável de poderes legislativos. Este estudo pretende, dando continuidade ao meu trabalho de doutorado, determinar com maior precisão o modus operandi do governo de coalizão no Brasil. A pergunta central que guiará a pesquisa é: em que medida a agenda de políticas do Executivo é compartilhada entre os membros da coalizão governamental e quais seus efeitos sobre a governabilidade? O que se pretende, portanto, é entender qual o papel dos partidos políticos na formatação das políticas e quais as implicações do compartilhamento ou não dessa agenda no que tange ao funcionamento de coalizões em regimes presidencialistas. (AU)

Ocultar
PROCESSO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA COORDENADORIA GERAL DA UNIVERSIDADE: PESQUISA DE AVALIAÇÃO DOCENTE_CGU

Coordenador Principal: Profa. Dra. Rachel Meneguello (Depto. Ciência Política/IFCH e CESOP/UNICAMP)

Início: 3/2010

Término: 4/2010


Sem resumo
Ocultar
REALIZAÇÃO DA ANÁLISE DO SISTEMA DE INTEGRIDADE NOS ESTADOS BRASILEIROS

Coordenador Principal: Prof. Dr. Bruno Speck (Depto. Ciência Política/IFCH e CESOP/UNICAMP) e Prof. Dr. Valeriano Costa (Depto. Ciência Política/IFCH e CESOP/UNICAMP)

Início: 4/2011

Término: 10/2011


Sem resumo
Ocultar
RECRUTAMENTO PARA AS COMISSÕES NO BRASIL

Coordenador Principal: Andréa Marcondes de Freitas

Início: 09/2018

Término: 08/2019


Resumo:

Compreender os critérios de recrutamento de parlamentares para as comissões lança luz sobre uma importante etapa do processo legislativo. Segundo os distributivistas, os próprios congressistas se recrutam para as comissões - autosseleção. Para os informacionais, esta decisão é da maioria do plenário. Já os teóricos partidários assumem que tal prerrogativa pertence aos líderes dos partidos. Até pouco tempo, creditava-se papel secundário às comissões brasileiras. No entanto, mais recentemente tem se apontado para a relevância destes órgãos. Esclarecer este processo em sistemas políticos aos quais se atribuía pouca relevância às comissões, apresenta-se como uma importante contribuição aos estudos legislativos. Para tanto, analisarei as composições de todas as comissões da Câmara de Deputados, ano a ano, desde o primeiro governo Fernando Henrique Cardoso (1995) até o final do primeiro governo Dilma Rousseff (2014). (AU)

Ocultar
REPRESENTAÇÃO POLÍTICA, GÊNERO, RAÇA E ETNIA: CONDIÇÕES, OBSTÁCULOS E PERSPECTIVAS NO BRASIL

Coordenador Principal: Profa. Dra. Rachel Meneguello (Depto. Ciência Política/IFCH/CESOP/UNICAMP)

Início: 7/2011

Término: 4/2012


Sem resumo
Ocultar
REVISTA OPINIÃO PÚBLICA VOLUME 15, NºS 1 E 2

Coordenador Principal: Profa. Dra. Rachel Meneguello (Depto. Ciência Política/IFCH e CESOP/UNICAMP)

Início: 1/2009

Término: 12/2009


Sem resumo
Ocultar
REVISTA OPINIÃO PÚBLICA VOLUME 16, NºS 1 E 2

Coordenador Principal: Profa. Dra. Rachel Meneguello (Depto. Ciência Política/IFCH e CESOP/UNICAMP)

Início: 1/2010

Término: 12/2010


Sem resumo
Ocultar
REVISTA OPINIÃO PÚBLICA VOLUME 17, NºS 1 E 2

Coordenador Principal: Profa. Dra. Rachel Meneguello (Depto. Ciência Política/IFCH e CESOP/UNICAMP)

Início: 1/2011

Término: 12/2011


Sem resumo
Ocultar
REVISTA OPINIÃO PÚBLICA VOLUME 18, NºS 1 E 2

Coordenador Principal: Profa. Dra. Rachel Meneguello (Depto. Ciência Política/IFCH e CESOP/UNICAMP)

Início: 1/2012

Término: 12/2012


Sem resumo
Ocultar
REVISTA OPINIÃO PÚBLICA VOLUME 19, NºS 1 E 2

Coordenador Principal: Profa. Dra. Rachel Meneguello (Depto. Ciência Política/IFCH e CESOP/UNICAMP)

Início: 1/2013

Término: 12/2013


Sem resumo
Ocultar
SISTEMAS BICAMERAIS NA AMERICA LATINA: ARGENTINA, BRASIL E MÉXICO

Coordenador Principal: Aluno: Bruno de Castro Rubiatti - Orientadora: Profa. Rachel Meneguello

Início: 9/2009

Término: 10/2013


Resumo:

Grande parte dos estudos sobre o Legislativo se concentra na análise do funcionamento e no comportamento das Câmaras Baixas. Entretanto, um grande número de países adota o sistema bicameral na organização do seu processo legislativo. Esse projeto visa analisar os sistemas bicamerais dos três países latino-americanos que adotam essa organização dos trabalhos legislativos conjuntamente a um sistema federativo: Argentina, Brasil e México. Buscamos analisar esses bicameralismos tendo em vista o papel de ponto de veto dos Senados no processo legislativo. Procuramos compreender como os elementos dos regimes institucionais de cada um desses países contribuem para o fortalecimento ou enfraquecimento desse papel das suas respectivas Câmaras Altas, uma vez que os elementos que compõem os regimes institucionais dos países são essenciais na definição do perfil e das capacidades dessas Câmaras de agirem como pontos de veto. Em outras palavras, analisaremos o impacto que os elementos que constituem os regimes institucionais - os poderes de presidente, o grau de descentralização territorial da política, o sistema partidário e a organização do processo legislativo - têm sobre as Câmaras Altas, privilegiando a questão do impacto da centralização desses elementos no processo decisório, tendo em mente que esse fenômeno está associado a uma diminuição do papel dos Senados nesse processo. (AU)

Ocultar
VISÕES DA DEMOCRACIA

Coordenador Principal: Profa. Dra. Lucia Merces de Avelar (FE/UNICAMP e CESOP/UNICAMP)

Início: 3/2007

Término: 3/2013


Sem resumo
Ocultar
VOTO, PARTIDOS E CONTEXTO: UMA ANÁLISE DA VOLATILIDADE ELEITORAL NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS ENTRE 2000 E 2012

Coordenador Principal: Aluna Monize Arquer Fernandes - Orientador: Prof. Oswaldo Martins Estanislau do Amaral

Início: 4/2013

Término: 3/2015


Resumo:

Compreender a relação entre eleitores, sociedade e partidos demonstra aspectos importantes do sistema partidário e do funcionamento político do país. Nesse sentido, o objetivo deste trabalho é analisar em quais contextos há uma continuidade na decisão partidária dos eleitores e que variáveis sociodemográficas ou institucionais são capazes de explicar o comportamento eleitoral. A partir de dados agregados fornecidos pelo TSE, e de dados estruturais fornecidos pelo IBGE e pelo IPEA, este artigo verifica a volatilidade eleitoral para o cargo de vereador nos municípios brasileiros nas eleições municipais de 2000 a 2012. Para executar esta tarefa, fez-se necessária a realização de análises descritivas e inferenciais, além de testes estatísticos específicos.

Ocultar
Voltar
COCEN Coordenadoria de Centros e Núcleos Interdisplinares de Pesquisa Rua Saturnino de Brito, nº 323, 2º andar Cidade Universitária Zeferino Vaz - Barão Geraldo, Campinas - SP CEP: 13.083-889 cocen@reitoria.unicamp.br +55 (19) 3521-4912 Equipe
Links
Voltar ao início Unicamp Serviços Escreva sua matéria
Acesse pelo celular