O EMERGENTE EM ARTES CÉNICAS

Cristina Benedita

Resumo


A exposição fundamental do presente artigo pretende articular o comportamento emergente[1] com a forma como em teatro e em dança se descobre a novidade nos gestos, nos movimentos e na voz.

Através de acções existentes, em repetição ad-infinitum, existe a possibilidade de surgir uma derivação, numa fuga à própria repetição, potencializando novos tipos de comportamento.

Também poderá existir a hipótese do movimento emergir em cena, em palco, em ensaio ou em pesquisa, através do propósito de se achar o novo, e nessa demanda se fazer o que é único, de um modo preciso e isolado. Abrem-se possibilidades infinitas para constantes actualizações de informação nos processos de criação artística.

Este confronto entre teorias de comportamento emergente e processos empíricos acontecem nas práticas do teatro contemporâneo e da dança contemporânea, fazendo uma reflexão aprofundada da percepção e das inúmeras casualidades no movimento emergente nestas áreas artísticas.

Da prática do corpo à prática da verbalização do corpo (o que se pretende expressar, por palavras, por se ter passado pela experiência do corpo em cena) propiciam-se novos discursos falados e escritos. Estes novos discursos não passam só pela racionalização e cognição dos observadores ou por uma codificação externa, mas passam especialmente pela reflexão teórica do corpo a partir da vivência do corpo.

[1] Emergência é um fenómeno ou processo de formação de padrões complexos a partir de uma multiplicidade de interacções simples. O conceito de Emergência é normalmente associado às teorias dos Sistemas Complexos: um conjunto de partes conectadas de alguma forma e em inter-relação entre elas. Assim, para caracterizar um sistema é necessário não somente conhecer as partes, mas também os modos de relação entre elas. Isto gera um fluxo de informações não triviais de se investigar, com uma série de consequências e propriedades emergentes[15].

 


Palavras-chave


Artes Cênicas, Emergente, Corpo, Lugar do Corpo; (Re)actualização;

Texto completo:

PDF